sábado, 16 de junho de 2012

:::->SENZALA<-:::






Sinhá Morena de pele encarquilhada

De alma sangrando, olhar conformado,

Carapinha branca  e vivência cansada

Vê seu amor no tronco ser castigado.



Enquanto seu filho com fome chorava

Aleitava com seu leite o filho do senhor,

Vendo seu amor, que no tronco apanhava

Ela embalava o filho branco  com amor.



Era assim que mãe preta fazia

E pai João pro senhor trabalhava,

Enquanto seu dono só lhe batia

Ela cantava,  chorava e rezava.



Enquanto na senzala presa a grilhões

Via com chibata, baterem em seu amor,

Mesmo assim cantando canções

Embalando o filho branco do senhor.



Zumbi, herói negro, brasileiro

Lutando até a morte, pela soltura,

Esgueirando-se do barco negreiro

Pugnou vorazmente a escravatura.



Bendita Princesa Isabel, imponente.

Pela lei áurea, Divina majestade,

Pode assim libertar nossa gente

Pro dom Divino, penhor à liberdade.


Clic no link e curta

http://www.youtube.com/watch?v=ZAGudZOwIpY

***: José Coelho Fernandes :***
















2 comentários:

  1. A beleza também pode ser triste, como estes versos... tomara que coisas assim jamais voltem a acontecer...

    ResponderExcluir