terça-feira, 21 de agosto de 2012

<*>O CRIME DO AMOR<*>




Em meu sonho minha fantasia

Sonho com a dama desnuda

Não é fácil, não se iluda

O amor é mui diferente,

Pra sufocar esse desejo

É comer pão com queijo

Sonhando com misto quente.



No delinear de meus sonhos

Extravaso minha emoção,

Deito e rolo, viro na cama

Meu corpo ardendo em chama

Perdendo o senso da razão.



Amando de qualquer jeito

Amando com real sensação,

É o amor sem preconceito

É amor de todo o jeito

Na cama, no tapete, no chão.



Cúmplices no crime do amor

Nosso crime é amar de paixão,

E se o mundo nos condenar

Continuaremos a nos amar

No jardim da nossa ilusão.



Em meu sonho sensual

Na fantasia de meu sonhar,

Não importa se pão ou queijo

Importa é satisfazer o desejo

Com o amor a se delinear.


No fulgor do acontecido

No tapete da sala no chão,

As roupas pro alto jogadas

Assistem envergonhadas

Mas aplaudem com emoção.


Neste ato de amor sagrado

Deste sonho, desta doçura,

Nesta fantasia, nesta aventura,

Foi um crime de amor e loucura.

        %%>José  Coelho<%%







 













2 comentários:

  1. Boa noite mei querido amigo. Gostaria de antes de mais nada agradece-lo por me seguir, e dizer que estou muito feliz por termos mais este meio para trocar nossas linhas... Linda obra, teu blog é excepcional e cheio de paz, parabéns! Beijo grande no teu coração, lu.

    ResponderExcluir