quarta-feira, 19 de setembro de 2012

%%PERDÃO%%



%%PERDÃO%%

Perdão, palavra santa e sublime
Poderosa de extremado valor,
Lírica espantosa e formosa
Não é verso não é prosa
É prova de um puro amor. 


Perdoa Senhor minhas faltas
Perdoa o bem que eu não fiz,
Alimenta meu frágil coração
Com amor e compreensão
Só assim poderei ser feliz.
 
Perdão pelo mal praticado
Pelo irmão que não ajudei,
Se contra alguém eu murmuro
Perdoa-me Senhor, sou impuro
Absolve o mal que pratiquei. 


Perdão é balsamo, é antídoto,  
Dos males, santo removedor,
Transmite paz, enaltece
O bem assim prevalece
Dignidade, fleuma e amor.


Errar pode até ser humano
Perdoar é Divino e primoroso, 
Liberta, e afasta a ansiedade
Propícia paz, e real felicidade
Gesto altivo, sublime majestoso.
 
Como brisa, o perdão dispersa
A mágoa, a culpa, a ira, a dor,
Alimenta, propicia paz à alma
Rejubila enobrece e acalma
Jubiloso enaltece o amor.

:::>José Coelho<:::

Um comentário:

  1. Que lindo, José! Parabéns pela postagem caprichada, sempre caprichada!

    ResponderExcluir